Alopecia Androgenética | Portal Salão Brasil

Alopecia Androgenética


18/10/2017 | Postado em Colunas

ALOPECIA ANDROGENÉTICA (Calvície)

As principais causas da queda permanente dos cabelos são a hereditariedade e os hormônios masculinos, que causam a atrofia dos folículos capilares e aceleram a queda definitiva.

Outros fatores, como o excesso de oleosidade, distúrbios da tireoide, alimentação desequilibrada e até o stress podem colaborar para esta perda de cabelo.

NA MULHER…
Na menopausa as mulheres perdem a produção normal de hormônios femininos, os níveis de estrogênio desabam e podem manifestar uma queda anormal de cabelos. Os fios ficam finos e ralinhos, especialmente no topo da cabeça.
Existem outros fatores de risco, como o excesso de produtos químicos utilizados nas colorações e alisamentos, a agressão mecânica causada pelos rabos de cavalo ou tranças e dietas restritivas para emagrecer.

O QUE FAZER?
O dermatologista especializado nesta área é o Tricoloista, que pode prescrever as seguintes medicações:
Minoxidi:l vasodilatador que ajuda a bloquear a ação dos derivados da testosterona no bulbo capilar
Finasterida, um medicamento para reduzir o tamanho da próstata, que também é eficaz nos casos de calvície hereditária, mas é indicada EXCLUSIVAMENTE PARA OS HOMENS. A advertência de que mulheres férteis ou grávidas não devem sequer tocar nos comprimidos, porque seu uso pode causar má formação fetal.

E OS COSMÉTICOS?
Use shampoos, condicionadores e máscaras capilares contendo VITAMINA H, ou Biotina, que ajudam no reequilíbrio do crescimento do folículo piloso.
E lembre sempre de buscar fórmulas com tensoativos suaves, como SODIUM COCOYL GLUTAMATE E SODIUM COCOAMPHOACETATE, extremamente suaves para a higiene do seu couro cabeludo.

As principais causas da queda permanente dos cabelos são a hereditariedade e os hormônios masculinos, que causam a atrofia dos folículos capilares e aceleram a queda definitiva.
Outros fatores, como o excesso de oleosidade, distúrbios da tireoide, alimentação desequilibrada e até o stress podem colaborar para esta perda de cabelo.

NA MULHER…
Na menopausa as mulheres perdem a produção normal de hormônios femininos, os níveis de estrogênio desabam e podem manifestar uma queda anormal de cabelos. Os fios ficam finos e ralinhos, especialmente no topo da cabeça.
Existem outros fatores de risco, como o excesso de produtos químicos utilizados nas colorações e alisamentos, a agressão mecânica causada pelos rabos de cavalo ou tranças e dietas restritivas para emagrecer.

O QUE FAZER?
O dermatologista especializado nesta área é o Tricologista, que pode prescrever as seguintes medicações:
Minoxidil, vasodilatador que ajuda a bloquear a ação dos derivados da testosterona no bulbo capilar;
Finasterida, um medicamento para reduzir o tamanho da próstata, que também é eficaz nos casos de calvície hereditária, mas é indicada EXCLUSIVAMENTE PARA OS HOMENS.

Advertência para mulheres férteis ou grávidas – não devem sequer tocar nos comprimidos, porque seu uso pode causar má formação fetal.

E OS COSMÉTICOS?
Use shampoos, condicionadores e máscaras capilares contendo VITAMINA H, ou Biotina, que ajudam no reequilíbrio do crescimento do folículo piloso.
E lembre sempre de buscar fórmulas com tensoativos suaves, como SODIUM COCOYL GLUTAMATE E SODIUM COCOAMPHOACETATE, extremamente suaves para a higiene do seu couro cabeludo.


Sobre Sonia Co
razza: Graduada em Engenharia Química, em 1981, com Especialização em Cosmetologia. Possui  mais de 30 anos de atuação na área Cosmética, em departamentos de Pesquisa& Desenvolvimento de novos produtos. Nos últimos 15 anos, trabalha como Consultora Técnica de grandes empresas, desenvolvendo formulações e trabalhos inovadores para: Avon, Boticário, Eudora, Natura, Sol de Janeiro, entre outras.

Acesse: www.soniacorazza.com.br



© 2017 Salão Brasil - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por M2R Digital