Empresário ou empregado? | Portal Salão Brasil

Empresário ou empregado?


10/04/2016 | Postado em Colunas

Empreender ou trabalhar como empregado? Eis a questão…

Muitos profissionais cabeleireiros tem como sonho montar um salão e ter sua independência financeira.
Conheço vários, que ao longo de minha carreira nessa área que já ultrapassou os 20 anos, tiveram grade êxito e montaram salões belíssimos e fortalecidos, com uma clientela grande e ainda
conseguiram montar uma forte equipe – QUE É O MAIS IMPORTANTE…Também conheço aqueles que só tentaram, e voltaram para onde estavam…

Mas nem só de flores vivem esses empresários, pois, hoje o empregado tem muitas regalias, queimou uma lâmpada, voce somente comunica e ainda exige que seja trocada imediatamente, se um funcionário não vem trabalhando a contento, voce exige que ele seja desligado, sem se preocupar com direitos trabalhistas ou se a empresa tem caixa para isso; simplesmente voce exige, se a cor do salão não te agrada, você exige que mude…

Ser empreendedor, no nosso país, é antes de mais nada, ser diferenciado, ser corajoso…

O Brasil é o país que mais cobra tributos sobre empregados no mundo, e no mercado onde a profissão ainda não é regulamentada, como a dos profissionais da beleza, qualquer problema trabalhista, a decisão fica a critério do entendimento do juiz, ou do seu humor.

Mas tem e terá sempre espaço para tudo, para o empregado, para o empreendedor, e para quem torce para o JACARÉ.

Muitas pessoas trabalham apenas para não faltar dinheiro no final do mês e para conseguir saldar as dívidas. Por outro lado, outras fazem isso para ter prazer, sentir-se bem e empregar seus talentos para a realização de algo extraordinário e, obviamente, para ter uma rentabilidade financeira melhor.
Quem souber libertar-se da idéia tradicional do trabalho como obrigação ou dever e se for capaz de apostar numa mistura de atividades, onde o trabalho se confundirá com o prazer, com o estudo, com o tempo livre para poder criar conseguirá empreender com qualidade e se destacará no mercado de
trabalho.

Com a passagem do “DIA DO TRABALHO”, que é feriado (parece brincadeira), fica uma pergunta – no Brasil de hoje dá para arriscar, sair de um confortável ganho (salário/renda/comissão), e arriscar-se a empreender ?? Eis a questão…

Trabalhar é ocupar-se em alguma profissão, esforçar-se para fazer ou alcançar alguma coisa, estar em funcionamento, empregar esforços para a realização de um bem comum, seja qual for a área.

A sociedade atual oferece ainda mais, uma nova liberdade, em que é possível empreender utilizando a mente criativa, o talento, a garra, a coragem, e a vontade de ser incomum, utilizando tudo isso como ferramenta de trabalho. Essa que era reservada somente aos aristocratas. Atualmente, as grandes
corporações pagam fortunas para os gurus, consultores e palestrantes filosofarem e contribuírem com a mudança mental e as estratégias organizacionais.

Empreender é fazer acontecer, propor-se a realizar algo diferente, inovador, criar uma oportunidade, ousar, desafiar, investir, correr riscos calculados, explorar algo que já existe para formatar algo novo, e com sua identidade, com sua personalidade.

Você pode estar pensando – puxa que legal – mas o empreendedor não precisa trabalhar ??

O empreendedor que não tiver a frente de tudo, presente no aprendizado, descobertas, desenvolvimento, inovação, superação e realizações, este estará prestes a “quebrar” antes de completar o primeiro ano de empreendedor.

Normalmente, o empreendedor é o primeiro a chegar e o último a sair, digo, os empreendedores de sucesso fazem isso.

Mas, porque eu seria um empreendedor, sendo que terei que trabalhar mais, arriscar mais, me dedicar ainda mais, estudar ainda mais ???

Porque os empreendedores são diferentes, são aqueles que em uma roda de amigos, quando ele fala, os outros param de falar, quando ele vai sair, tem sempre gente querendo ir com ele, é aquele que lidera sem fazer força, e isso muitas vezes é nato, e outras vezes, as pessoas são treinadas, se profissionalizam e se tornam tecnicamente capazes de fazerem tudo isso, e naturalmente essas pessoas são “DIFERENTES”.

Para ser empreendedor, vão algumas dicas:

– Planeje tudo com reservas financeiras, não conte com o possível, conte com as “pedras e espinhos” também;
– Defina seu alvo, seu objetivo;
– Tenha foco;
– Planeje seu próximo ano, onde você quer estar daqui a 5 anos, daqui a 10 anos;
– Estude bem o mercado que irá investir – e não pense que de tudo tem muito – sempre tem espaço para um melhor serviço, um melhor atendimento, uma melhor e mais agradável maneira de fazer as coisas, e lembre-se, ninguém tem a sua assinatura;
– O mercado ainda tem carências de uma atendimento personalizado, em todas as áreas;
– Nossa população cresce a cada segundo, logo, tudo ainda precisamos.

E se tem alguma dúvida sobre onde investir, veja as informações dos mercados:

– Mercado da beleza – crescimento acima de 18%;
– Cosméticos – crescimento acima de 16%;
– Moda – crescimento acima de 21%;
– Turismo – crescimento acima de 23%;
– Varejo – crescimento acima de 19%;
– Medicamentos – crescimento acima de 22%;
– Franquias – crescimento acima de 24%;
– Construção civil – crescimento acima de 19%;
– Automotivo – crescimento acima de 14%;

– O seu negócio – crescimento acima de 100 %, só falta você começar.

Assuma a sua responsabilidade, vamos lá – mãos a obra e sucesso, há espaço para o otimismo.


Sobre Rogério David:
É consultor de negócios na área de beleza, com 20 anos de experiência neste setor.
Possui vasta experiência nos segmentos: institucional, atacado, grandes redes de supermercados e perfumarias, indústrias, varejo tradicional, distribuidores, e franquias, em todo o território nacional.

 

© 2017 Salão Brasil - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por M2R Digital