Controle de Infecção nos serviços de Beleza | Portal Salão Brasil

Controle de Infecção nos serviços de Beleza


14/02/2016 | Postado em Colunas

A importância do Controle de Infecção nos Serviços de Beleza e Estética – Beleza de mãos dadas com a Saúde

Os procedimentos de embelezamento são cada vez mais procurados por todas as idades, camadas da população e não se restringem mais somente às mulheres.

Hoje existe uma variedade de serviços sendo ofertados, desde os tradicionais como manicure, tintura de cabelo, aos mais diferentes, como maquiagem definitiva, megahair, escovas progressivas, lasers para depilação permanente.

Todos os cosméticos devem ter seu registro na ANVISA, e serem utilizados para a finalidade que foram fabricados. Fuja das fórmulas caseiras, pois no caso de um evento inesperado, você não terá respaldo da indústria.

Além disso, por não ter rótulo, fica difícil saber exatamente o que o produto tem em seu interior, para saber se a cliente tem alergia a algum componente por exemplo. Lembre-se de verificar a data de validade de todos os produtos.

O cuidado com a higiene e limpeza deve ser rigoroso. Alguns procedimentos exigem a esterilização. Na Lei 12.592, publicada em 19 de janeiro de 2012, que regulamenta as profissões de Cabeleireiro, Barbeiro, Esteticista, Manicure, Pedicure, Depilador e Maquiador, reforça a obediência às normas sanitárias por esses profissionais, sendo eles responsáveis pela esterilização de materiais e utensílios utilizados no atendimento a seus clientes.

Esta é uma necessidade frente à possibilidade de transmissão de agentes causadores de doenças infecciosas, como por exemplo HIV (AIDS), HCV (hepatite C) e HBV (hepatite B), através de instrumentos não esterilizados.

Em pesquisa realizada em manicures da cidade de São Paulo (Schunck & Focaccia 2009), os autores encontraram uma maior prevalência para hepatites B e C do que a população em geral na mesma cidade. Esses dados sugerem que elas tenham um risco maior de se infectar que a população em geral. Os pesquisadores chamam a atenção para o fato de que dentro do grupo de manicures do estudo nenhuma lavava a mão entre os procedimentos, independente do uso de luvas. Todas utilizam os mesmos alicates dos procedimentos tanto clientes como para o uso pessoal, sendo que embora muitas manicures buscassem alguma forma de esterilização, frequentemente era realizada de modo incorreto. Esses fatos apontam também para o risco de aquisição dessas doenças pelas clientes, caso a esterilização não seja realizada de modo adequado.

Para um bom atendimento, além da competência técnica profissional e o carinho com que o cliente é recebido no salão prepare todo o ambiente de trabalho.

Veja algumas dicas para as manicures:
– Lave as mãos;
– Use um par de luvas de procedimento para cada cliente;
– Utilize cremes com dispensador;
– Umidificador de cutícula sem imersão: borrifador com solução própria e algodão;
– Luvas de plástico com creme;
– Utilize toalhas descartáveis;
– Mantenha limpo o campo de trabalho;
– Utilize um kit com alicate e espátula esterilizados;
– Abra o kit estéril na frente da cliente.

Dica Especial:
Comente com seu cliente os cuidados que vocês tomam, isso só vai valorizar o seu trabalho.

Na esterilização é indispensável que os alicates e as espátulas sejam resistentes ao processo de autoclavação. Esse é o processo de esterilização mais indicado nesse caso. Alicates comuns danificam-se rapidamente.

Verifique a informação na embalagem original do produto. Na dúvida consulte o fabricante.

Para fazer o pacote utilize a embalagem própria, papel grau cirúrgico, que hoje você encontra com facilidade nas boas casa do ramo.
Lembre-se que eles são de uso único e portanto descartáveis.


Liliana Junqueira de P. Donatelli
E-mail : consultoria@cristofoli.com
Blog: www.cristofoli.com/biosseguranca

© 2017 Salão Brasil - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por M2R Digital