A Trança Voadora. Saiba o porquê! | Portal Salão Brasil

A Trança Voadora. Saiba o porquê!


13/06/2016 | Postado em Colunas

As tranças nunca saem de moda. Hoje vemos na TV, modelos e atrizes usando “trancinhas” em penteados e tranças de diferentes formatos. Podemos inclusive ‘mudar a cor’ do cabelo, sem necessidade de utilizar coloração.

Existem tranças longas, fininhas, grossas, Chanel e penteados com tranças para as mais diferentes ocasiões.

Com tantos modelos surgem também dúvidas de como fazer para agradar as clientes, e principalmente manter as tranças “soltas” feitas com Kanekalon (alongamento) de forma “firme”, para que não se soltem.

trancas chris

Vou contar uma historinha para ilustrar melhor o que quero dizer:

Uma colega tinha acabado de fazer ‘tranças jamaicanas’ aparentemente lindas, e foi a uma festa ( na época, a citada trança, não foi feita por mim).

Ela, como a maioria de nós gostamos de fazer, quis ir para a ‘balada’ e mostrar o novo visual. Feliz, começou a dançar ‘samba rock’ com toda graça. Um giro pra cá, um giro pra lá e, de repente, uma de suas tranças voou no meio da pista de dança. O pior é que na hora ela nem percebeu. Mas uma pessoa que a observava dançar logo veio lhe entregar a trança e ainda disse: “Moça, sua trança caiu no chão!”

Nossa! Imagine a vergonha que ela sentiu! Disse que pegou a trança na mão e correu para o banheiro com a intenção de tentar recolocar, mas não conseguiu. A festa acabou ali (vaidade feminina é isso!) e ela ficou com trauma de voltar a usar tranças, até o dia que relatou o ocorrido e eu pude ajudá-la!

‘Trança voadora’ – por que isso acontece?
A resposta não é tão simples. Para descrever, o melhor seria fazer uma trança, e mostrar às profissionais ‘o erro’ que normalmente ocorre. É preciso ‘prender bem’ fazendo o que chamamos de amarração e alimentação.

Amarração
Fazer antes “de qualquer coisa”, uma trança “bem fininha” com a fibra do Kanekalon liso, e depois “trançar” outra por cima, na espessura desejada pela cliente.

Alimentação
A alimentação da trança consiste em “misturar bem” o cabelo natural com o cabelo sintético, enquanto estiver trançando – isso ajuda a “travar” e desta forma, não tem como cair.
Anotem mais “duas coisinhas” que fazem toda a diferença na hora de fazer tranças soltas perfeitas: gomos e espessuras iguais e o bom manuseio com o cabelo sintético.
Muitos sabem trançar, porém, poucos conseguem fazer disso uma profissão. Por isso, praticar faz toda a diferença! Ensino todos esses detalhes, durante meu curso de Tranças e Dreads.

 

Sobre Chris Oliveira:
Chris Oliveira é trançadeira especializada em dreads e alongamento. É diretora da Academia Cia das Tranças, onde ministra diversos cursos.
Mais informações e contato, acesse o site: www.ciadastrancas.com.br

© 2017 Salão Brasil - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por M2R Digital